quinta-feira, 14 de maio de 2009

About the Sky

Eu separo paixão e amor.
Felizmente amei e amo várias pessoas. Não sinto paixão por nenhuma delas. Estou a falar dos meus, pais, irmão, mais alguns elementos da família e alguns amigos e amigas.
Alguns deles já os perdi. Prefiro concentrar-me no que foi. Em tudo que tiveram de bom essas relações. Se me concentrar no que poderia ser e não é, não saberia continuar. Não sei lutar contra o inevitável. Não me consigo revoltar contra o que não posso mudar. Embora sinta esse desejo por vezes. Acho que prefiro adaptar-me a tentar mudar o mundo. Já assisti a muitas pessoas a quererem mudar o mundo e serem quebradas, com sequelas permanentes, por este. Talvez seja escolher o caminho mais fácil mas, não tenho forças para mudar o mundo. Não sozinho.
Já me apaixonei várias vezes. Vivi algumas dessas paixões. Não muitas. Claro que tenho vontade de que volte a acontecer. Nunca em nenhuma delas me convenci que ia ser para sempre. Tentei sempre não me iludir. Tentei sempre aproveitar o dia a dia e que durasse enquanto fosse bom. É certo que cometi erros mas, quem não comete?
Paixão e amor por uma pessoa, apenas vivi uma vez. É dessa que falo no Reach for the Sky. Foi o melhor da minha vida. Apesar de todas as condicionantes, eu era feliz. Por ter sido tão bom e tão forte, acabei por me iludir. No fim, fui emocional. Revoltei-me, barafustei, indignei-me,... de nada me serviu para evitar o fim! As condicionantes ganharam.
Ainda hoje penso no que poderia ser. Mas felizmente já o faço de uma forma saudável. Lembro-me de todas as coisas boas e acredito poder ter algo parecido com outra pessoa que não aquela. Embora a tenha considerado, em tempos, perfeita para mim e ela me tenha permitido sentir uma felicidade que nunca pensei vir a sentir, hoje sei que, embora tivéssemos muito a favor, também tinhamos muito contra. A história foi como tinha de ter sido. Aprendi muito. Estou-lhe grato por isso.
Mesmo não acreditando que seja com ela, espero ter outra oportunidade no amor/paixão, desta vez, sem as condicionantes que existiam na altura. Assim, quero uma nova história! Quem sabe esta não terá um final mais feliz...

18 comentários:

dyphia disse...

Mal comecei a ler este post percebi imediatamente que era uma resposta p mim ;)
Tudo que escreveste tem lógica e é sem o duvida a posição mais sensata que se deve ter perante a vida. Mas infelizmente eu deixei à muito de ser sensata, e enquanto não soube o que significava a palavra amar, poderia dizer que até era racional. A verdade é que criei um mundo mt próprio, mt meu. Um mundo que não tinha sido aberto a ninguém até aquele momento. Deixei que ocupasse o lugar mais importante no meu mundo, deixei que reinasse… agora sobra-me um mundo em ruínas… talvez um dia eu volte a conseguir reerguer algumas edificações, o essencial para que se mantenha minimamente funcional mas, voltar a abri-lo a alguém!? Não, nem pensar! Não tenho estrutura p aguentar outro erro.

Bjs

p.s. vou passar a ser cliente assídua do teu blog, gosto das tuas ideias. :)
ah! Eu percebi a brincadeira com a historia das virgens ;) e foi mt importante teres realçado que recebeste ainda poucas dentadas hihihi

Sofizita disse...

Li o teu post e indentifiquei-me com tanto do que escreveste que nem imaginas. :) Estive quase para fazer um copy/paste para o meu blogue! ;)

profpardal disse...

Oi!
Tenho a certeza que vais voltar a viver um amor imenso. Ainda melhor que o que viveste!

:)

Icon disse...

Dyphia: o teu comentário vai ter mais um post de resposta! Assim que eu tiver tempo para isso porque tenho aqui uma pilha de testes ao lado à minha espera. Estás a começar a ter contornos de musa inspiradora... ahah! ;)

Sofizita: Fico feliz por te teres identificado. Eu tenho umas ideias bué de giras, n tenho? lol
Apenas não percebi muito bem porque te acanhaste e não fizeste o tal copy/paste. Eu leio o teu blog e gosto muito dele. Sentiria muito orgulho em ver lá as minhas palavras. Se o quiseres fazer, estás à vontade.

profpardal: eu estou à espera dele e, um dia que eu poste a Starlight na única rúbrica recorrente do meu blog, o banda sonora da minha vida, tu vês a minha posição nesta altura da minha vida. tenho é que arranjar tempo para isso. e de me lembrar... fica prometido, a menos de qualquer esquecimento muito provável...

profpardal disse...

Vou deixar-te outro conselho (se é que me permites):

Não penses nisso. Quanto mais pensarmos mais tempo demora a aparecer.

Quanto ao facto de não aguentarem mais outra paixão, desculpem mas isso é tudo tanga! Infelizmente nonguém consegue viver sem amor.

Agora, se estão à espera que vos apareça a pessoa ideal, podem esperar sentados. Tal não existe, até porque se existisse teríamos de namorar connosco mesmo.

Eu sei do que digo. Sou apaixonada pelo meu marido, não consigo viver sem ele. Sofri muito até conseguir erguer a nossa relação. Por muito que me esforce, há sempre qualquer coisa que não é tal como eu queria.

É a vida. Temos é aprender a viver com aquilo que a vida nos dá. Há que nos adaptar!

dyphia disse...

sinto-me mt lisonjeada com esse "contorno de musa inspiradora" ;)

fico a aguardar pacientemente o novo post :)

bjos

© disse...

vais encontrar, vais ver.
sabes, eu sou uma lutadora e paixão, paixão mesmo a sério só tive uma. lutei imenso por ela mas não deu certo... e doeu muito.
agora recupero sossegadinha.
muito bom o teu texto. ;)
bj

alfabeta disse...

O amor aparece e reaparece quando tem que ser, por mais armaduras que usemos,quando bate o clic, não há nada a fazer.

E nunca fui loira espampanante ;)

Alguém disse...

Sabes, acredito que todos temos uma pessoa para nós. Antes, conseguia-me rir quando se falava na "outra metade da laranja" ou simplesmente na "outra metade", mas ela existe... Quando estamos condicionado por um outro amor passado não conseguimos ver, mas ela lá está. Pode não ser hoje, nem amanhã, mas está ou estará.
Devemos abrir as nossas mentes porque, apesar de termos passado por momentos e sentimentos muito bons, bons momentos... quando as coisas não correm bem, quando terminam, temos de olhar para a frente e continuar a viver.

Por isso te digo: sim, vais encontrar alguém :) Mente aberta. Sê tu sempre. E sim, vais encontrar :)

beijinho grande!

alfabeta disse...

E só mais uma coisa,se estiveres sempre com um pé atrás e convencido que não é para sempre, inconscientemente vais estar a colocar barreiras e pensa que se o outro lado agir como tu, estão condenados ao fracasso da relação.

Icon disse...

profpardal: este é um espaço aberto a todas as opiniões. Censura, pode vir a haver mas ainda n me vi obrigado a tal...
eu tou à espera de algo bom... algo que me tire do meu canto. que me entusiasme...

dyphia: está aí o novo post. e tem musiquinha a acompanhar.

c com ou sem bolinha: se vou ou n encontrar, não sei mas espero que sim.
eu n lutei muito pelo meu amor/paixão pq não podia
diria que tb estou na fase de recuperação sossegada. mas já me tiravam deste sossego... :D
obrigado pelo elogio

alfabeta: esse tal de amor é um bocado deseducado... podia mandar um arauto à frente a dizer que vinha para eu saber quando o esperar...

Alguém: não sei se existe uma pessoa para nós. Acho que não. Acho que várias podem servir e nenhuma é perfeita. Não é uma visão muito romântica da coisa mas acho que o romantismo está mesmo em fazer funcionar as coisas. E, não tem de ser perfeito para ser bom.
Eu até me considero bastante aberto. E tento ao maximo não me deixar prender por paradigmas e preconceitos.
Sou sempre eu mesmo. No entanto não sempre o mesmo...
beijo

alfabeta: eu tento não andar convencido de nada. nem que vai ser para sempre nem que não vai ser para sempre. acho que é a melhor maneira de se estar.
quem se ilude...

alfabeta disse...

Não se trata de ilusões, a mim parecem-me é receios teus por já teres tido uma vez uma má experiência.
:)

rute disse...

Não há coisa mais triste do que viver sem paixão. E paixão aqui não significa apenas paixão por uma pessoa. E no entanto...também existem poucas coisas tão dolorosas como viver com ela...
Mas acredito que parte da essência da paixão, parte do seu encanto é precisamente iludir-nos e desamarrar-nos da nossa (inconveniente) racionalidade.

Aqui está a minha pequena intromissão do dia ;)

Icon disse...

alfabeta: não digo que n tenhas razão. eu acho que tenho medos mas que os enfrento... mas se calhar, inconscientemente, fujo a alguns...

rute: olá e bem vinda. concordo contigo acerca dessa dicotomia nas paixões. às vezes é bom, às vezes é mau. e estas vezes não estão necessariamente dissociadas... um dia deste elaboro este tema.
tás à vontade para te intrometer quantas vezes quiseres.
...só te vou pedir para teres cuidado ao sair e limpares os pés, senão levas o lixo ctg para outros lados :D
n ligues. apeteceu-me dizer asneiras

rute disse...

hummmm...isso do lixo é muito relativo, icon ;)
Mas vá...tenho a dizer-te que já andei por sítios bem piores!

Provocação do dia! ;)

Icon disse...

rute: tudo é relativo ;)

ainda bem que já andaste por sítios piores... quer dizer... não é mt bom que tenhas andado por sítios piores. mas é bom que haja sítios piores que este para andares... oh well! tu percebes.
uma intromissão e uma provocação... teremos direito a mais hj?

rute disse...

Tréguas!! ;)

Icon disse...

eheh!