quinta-feira, 30 de julho de 2009

Kleine Blume!

Trágico! Devastador! É-me doloroso saber-te nesse estado de tristeza!
Lembras-te que foi a principal rajada de vento que te levou para longe de mim? E agora... Desapareceu! Entre nós, nada muda. O nós pertence ao passado... Nós? Mas alguma vez houve um nós? Pelo menos eu gosto de acreditar que sim! Por tudo o que partilhamos... Mesmo que intimamente ambos soubessemos que era a prazo. Em tempos sonhei que o prazo poderia prolongar-se indefinidamente. Fui acreditando no impossível. A culpa não foi tua. A culpa nunca poderia ser tua. Tu eras perfeita aos meus olhos. Eu é que me iludi. Desejei que o vento de mudança que surgiu não fosse o que te levasse para longe mas o que te aproximasse infinitamente de mim. Para sempre! Por breves instantes desejei e acreditei que esta seria a razão pela qual iríamos enfrentar o mundo. Juntos! Como um ser indivisível. Acreditei que serias minhas. Minha mulher. Perfeita! Foi a calma antes da tempestade. Dilúvios e ventos que tudo destruiram e te levaram para longe de mim. Tudo o que sempre quis foi fazer-te feliz. Quando estavas do meu lado eu era feliz. Mas que interessa isso agora? Que interessa isso neste momento? Tu seguiste. Eu segui o meu caminho! Sou feliz agora! Sem ti! Mesmo não te tendo nos meus braços. Tendo-te ainda no âmago do meu ser... Mas, a principal razão do fim do nós... desapareceu! Como poderia eu impedir que um monte de recordações e dúvidas me assolassem? Como gostava de ser eu a partilhar esta intempérie contigo... proteger-te nos meus braços dos ventos injustos que te fustigam violentamente. Sei que isto não é importante. Sei que estou a ser egocêntrico. Mas eu não sou perfeito! Foste-me demasiado importante para que isto não mexa com todos os meus sentimentos.
Amanhã, ou depois, estarei de novo do teu lado. Abraçar-te-ei outra vez. Não será nos meus termos. Nada do que eu gostaria. Muito pior do que eu imaginava que algum dia pudesse acontecer. Ainda assim, aproveitarei para te transmitir todo o carinho, amor e admiração que tenho por ti. És tão forte... Como ousam tentar derrubar-te! Este furacão já deixou uma grande marca mas ele não vai derrubar-te! Nada pode derrubar-te!
Hoje o Céu está menos azul, eu sinto... Tudo correrá bem, eu sinto... Assim o espero! Só quero a tua felicidade!

4 comentários:

dyphia disse...

simplesmente lindo! desculpa mas enquanto escreveres desta forma so vou mesmo conseguir soltar profundos suspiros de nostalgia e uma ou outra lagrima...

beijos

Chocolate disse...

Que bonito!!! Gostei muito de ler!!
Bjs

Chocolate disse...

Premio no meu cantinho!

bjs

Icon disse...

dyphia: obrigado pela forma como descreveste o post! mas, continuo a dizer-te que os meus posts não são para soltar lágrimas... ok! este talvez até tenha razões por trás para mais que uma lágrima. desta vez perdoo ;)

chocolate: muito obridado! ainda bem que gostaste de ler. é, em parte, por isso que escrevo.

chocolate: obrigado mais uma vez pelo prémio. desculpa não o ter colocado aqui mas, há tempos decidi que não ia pôr os prémios aqui no blog pois sinto que estou a perpetuar algo que me faz lembrar as chain letters que nos passam no mail... mas confesso que me soube bem receber aquele prémio vindo de ti... ;)