quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Sr. Horácio

A minha vida de circo (sempre com a casa às costas) fez com que, no final do mês de Agosto e início do mês de Setembro, o meu carro percorresse umas milenas de quilómetros a levar-me de lado para lado neste país. Entre o local de férias, a minha terrinha, a terra de trabalho do ano passado e a novo poiso de ensino, era uma incógnita onde iria ter de ir a cada dia que passava.
Com a bela da brincadeira, ultrapassei largamente o número de quilómetros previstos para a revisão do veículo. Sempre que parava em algum dos sítios previamente mencionados, ia ao serviço para o efeito e, tentava marcar a revisão. Sem sucesso. Era sempre preciso, no mínimo, sete dias de antecedência. Ora, numa fase em que eu não sabia onde ia estar no dia a seguir, a situação foi-se arrastando.
Finalmente, as coisas acalmaram e lá tive que me alcar aqui no novo sítio de trabalho e, lá consegui marcar a revisão do meu carro para o sítio mais perto daqui. Calhou de ser numa terra a que já não ia desde catraio miúdo. Na sexta passada lá fui.
Ao chegar lá descobri que tinha duas horas para matar enquanto que a coisa era feita. Fui dar uma volta pela terra. Como era pouco tempo, optei por andar apenas pelas ruas, pelos jardins, pelos quelhos e deixar de lado as atracções mais turísticas. Andei sem rumo até chegar a uma espécie de miradouro. Estacionei-me lá. Ao meu lado estava um cidadão sénior, na sua cadeira de rodas, de costas voltadas para a paisagem. Quando se apercebeu que eu não tinha apenas passado por ali, voltou-se para as vistas que provavelmente conhece de côr. Mediu-me. Pediu um cigarro de forma insegura. Respondi-lhe que não tinha... mas decidi fazer a BA do dia. Olhei em volta, cafés, n havia mas, um transeunte passava a fumar o seu cigarro. Fui pedir-lhe um. Ele olhou-me de alto a baixo, olhou para trás de mim, sorriu e comentou qualquer coisa sobre o Sr. Horácio que eu não captei. Foi assim que fiz um amigo... A seguir, passei uma bela meia hora a ouvir histórias da terra e a rir-me com os comentários do Sr. Horácio. Depois, despedi-me dele e fiquei com vontade de voltar para conhecer e ver melhor a terra do Sr. Horácio.

6 comentários:

Chocolate disse...

foi bem passado esse tempo, afinal de contas ambos estavam a precisar de matar o tempo e sempre aprendeste qualquer coisa...
beijos

Bloguótico disse...

Knd li que fizeste a boa acção do dia pensei que tinhas convencido o senhor a deixar de fumar!! Com ou sem fumo, acredito que essa conversa tenha sido animada! :D

francis disse...

boa man.

Icon disse...

chocolate: sim, foi bem passado!

bloguótico: convencer um septuagenário a deixar de fumar, n sei se será uma boa acção. tirar algo que visivelmente dá prazer a alguém que tem poucos anos de vida... talvez esses anos até sejam passados com mais saúde mas também podem ser mais tristes... é um pau de dois bicos...

francis:
:)

SMC disse...

Olha digo-te uma coisa, de vez em qd passo por momentos parecidos e não sei se te acontece, mas fico com a sensação de que naquele momento a minha vida ganhou novo sentido! É fantástico sentir isso!:-D

Icon disse...

SMC: são alegrias inesperadas! :)